Liberdade de Expressão: Como cidadão brasileiro, não sou livre para me expressar?

18/12/2020 19:39:38



“(...) só quero que a população seja respeitada, numa sala de audiências, não importando a classe social, gênero; pessoas são humilhadas na casa da Justiça?”. Por esta e outras declarações com o mesmo viés ideológico - que constam numa nota publicada em seu Facebook pessoal, um Oficial de Justiça catarinense está sofrendo de instauração de Sindicância Punitiva por parte do Diretor do Fórum de sua Comarca. 

A questão, considerada um atentado à liberdade de expressão, chegou ao Sindojus-SC, que já tomou as devidas ações voltadas a defender seu filiado, coibindo tal disparate. As declarações feitas pelo Oficial de Justiça se referiam ao recente julgamento do réu acusado por Mariana Ferrer de estupro - que teve ampla divulgação de imagens pela imprensa e rede sociais, através do portal intercept, visto que pelas imagens do vídeo divulgado, a considerada vítima parecia  humilhada durante a audiência. 

Na defesa do Oficial uma gama de declarações de integrantes do Judiciária brasileiro, entre eles, em especial, ministros do Supremo Tribunal de Justiça (STF), que corroboraram com a opinião do mesmo. “As cenas da audiência de Mariana Ferrer são estarrecedoras. O sistema de Justiça deve ser instrumento de acolhimento, jamais de tortura e humilhação. Os órgãos de correição devem apurar a responsabilidade dos agentes envolvidos, inclusive daqueles que se omitiram”, disse o ministro do STF, Gilmar Mendes em sua conta no Twiter, em 3 de novembro.

O Sindojus-SC já está trabalhando e oferecerá todo suporte jurídico necessário à defesa de seu filiado -  assim como o faz por todos os demais Oficiais de Justiça quando acusados injustamente por atos e ações que não condizem com a norma da Justiça brasileira, em especial, o Judiciário catarinense. Lembrando: 

Artigo 13 do Decreto nº 678 de 06 de Novembro de 1992 

Sobre Liberdade de pensamento e de expressão: 

13.1. Toda pessoa tem direito à liberdade de pensamento e de expressão. Esse direito compreende a liberdade de buscar, receber e difundir informações e ideais de toda natureza, sem consideração de fronteiras, verbalmente ou por escrito, ou em forma impressa ou artística, ou por qualquer outro processo de sua escolha.







SINDICATO DOS OFICIAIS DE JUSTIÇA DE SANTA CATARINA

Rua Silveira de Souza, nº 60 - CENTRO
Florianópolis - Santa Catarina. Cep: 88020-410



2019 SINDOJUS / SC | Todos dos Direitos Reservados